Magistralem Speculum, Cordão do Amor e Plaqueta - Parte II

     Na sequência dessa série de artigo sobre o Magistralem Speculum, Cordão do Amor e Plaqueta, me refiro que esses instrumentos não são usados apenas em caso de doenças. O Magistralem Speculum, vamos chamá-lo de "AMIGO" que está presente a todo tempo.

     Devemos mantê-lo dentro do carro, porque ele nos protege e dá prova disto ao evitar o perigo nos trânsitos violentos das cidades ou nas estradas que são muito mais violentos.

     Sem contar que ele sempre está trocando as energias das pessoas que entram no seu carro.

    Ele é simplesmente maravilhoso e você sempre estará bem, por pior que esteja, com certeza, ele irá clarear a sua mente e terá condições de resolver tudo. Bem, vamos a outro depoimento de Izabel Aparecida Borin, 50:

"Ribeirão Preto, 02 de fevereiro de 2012

     Há alguns anos quando recebi os ensinamentos sobre o Magistralem Speculum através do Senhor-Mestre Florêncio Antonio Lopes, que sempre procurei colocá-los em prática e desde que adquiri o meu primeiro Magistralem eu pratico os seus exercícios, que alcanço muita paz e sinto a proteção que emana dele, porque este instrumento não é apenas um simples objeto, nele está imantado uma energia Divina de muita pureza e paz que nos ajuda a ter equilíbrio e proteção.

    Particularmente eu o chamo de "meu escudo de proteção", já que passei por muitos momentos difíceis, principalmente no trânsito.

    Aconteceu comigo um fato no ano de 1999. Neste ano eu morava na cidade de Serrana-SP e trabalhava na vizinha cidade de Ribeirão Preto–SP, e todas as manhãs durante toda a semana, antes de sair de casa eu colocava o Magistralem Speculum no banco traseiro do carro, com a sua frente voltada para cima, mas antes eu colocava a minha mão direita sobre ele e mentalizava proteção para que eu chegasse bem.

    E num determinado dia, de manhã, por volta das 8h, seguindo o trajeto e estando na Rodovia Abrão Assed, sentido Serrana a Ribeirão Preto, o inesperado aconteceu, naquela época essa rodovia tinha a pista simples e com um movimento muito grande de veículos, principalmente caminhões de cana-de-açúcar, ao passar no trecho do trevo da Usina da Pedra, estava sozinha no carro numa velocidade de 100 km/h quando de repente um andarilho que estava no acostamento, atravessou a pista bem na frente do meu carro, me assustei e naquele momento pisei no freio movimentando a direção para a esquerda para evitar um atropelamento.

    O atropelamento foi evitado, mas perdi o controle do carro, que descontrolado foi parar na faixa da contramão, pulava de um lado para o outro e eu tentava controlar a direção que não obedecia ao meu comando, não sabia mais o que fazer, olhava para frente e só via os carros que vinham no sentido contrário, irem parando no acostamento, no meu pensamento só pedia para Deus fazer parar aquele carro.

    O meu desespero era tão grande, porque eu não conseguia fazê-lo parar e sequer controlar a sua direção e nesse momento senti uma proteção muito grande, me senti envolvida numa redoma de energia protetora, mantive o equilíbrio e virei à direção com toda a determinação que eu tinha para o lado direito, onde o carro deu uma virada total saindo da pista contrária chegando à outra faixa, se afogou e ele parou.

    Nesse momento agradeci a Deus por aquele sufoco ter acabado, olhei tudo ao meu redor, vi muitos veículos enfileirados e parados nos acostamentos, inclusive, os caminhões de cana.

    Ainda estava parada no sentido contrário e nisso vinha outro veículo bem de frente ao meu carro, o motorista estava atento e freou a tempo, só vi quando a sua acompanhante colocou as mãos na cabeça a me ver parada no meio da pista.

     Em seguida, um senhor de meia idade e motorista de um caminhão veio prestar-me ajuda e me disse que tinha visto tudo e perguntando se eu estava bem, respondi que sim, mas tremia muito, pois o susto foi muito grande, e me ajudando a sair do carro, em seguida colocando-o no acostamento para liberar o trânsito.

    Nesse momento, olhei para a rodovia e do outro lado avistei o andarilho que estava andando e entrando no canavial, fiquei tranqüila. O senhor que veio me ajudar (eu não me recordo o seu nome), mas lembro-me bem de sua fisionomia, era uma pessoa de aparência simples, educado e humilde.

    Preocupado comigo deixou o seu caminhão estacionado no canteiro e dirigiu o meu carro me levando até a Usina e me servindo um copo de água com açúcar e perguntando para mim se estava em condições de dirigir. Respondi que já estava me sentindo melhor e que eu tinha que ir trabalhar.

    Agradeci muito à sua ajuda, pois ele foi à única pessoa naquela rodovia que me deu ajuda, os demais só olhavam assustados. Ele retornou para o seu trabalho e eu segui para o meu.

    Graças a Deus que através do Magistralem Speculum eu tive muita proteção, pois naquele trecho desta rodovia, antes da reforma, era considerado um dos mais perigosos, tendo acontecido ali muitos acidentes com vítimas fatais e no momento do acontecido os carros que vinham de ambos os sentidos foram parando bem distantes de onde o meu veículo circulava.

    Também senti e tenho a certeza de que todos eles foram protegidos, porque senão uma tragédia teria ocorrido.

    Só tenho que agradecer e sempre sou grata à força do Magistralem Speculum, que é uma força Divina. O meu, eu levo sempre comigo e como diz o Senhor-Mestre Florêncio, ele é um grande AMIGO. Um AMIGÃO.

Paz e Amor Entre os Povos para todos.

Mestra Izabel Aparecida Borin

Rua Franca, 847 – AP 22

14090-250 – Ribeirão Preto - SP."

SEUS SINAIS

Haverá lembranças e saudade. Só não haverá

distância porque sempre seremos um

Sob as águas trêmulas

Um vazio distante

Coroando com graças

Reluzem faíscas, vertigens

Neutras de um tempo comum

Desnorteada que estou

Um sulco profundo

Aberto em minha alma

Recebe como hóspede e da luz

À uma ponta de esperança.

Eu cansada, e o sol já quase posto

Reclino minha mente

Revivo sonos azuis

Libero-os no espaço

Caminham, retrocedem

Indecisos, profanos, similares

E o sol já posto

Entregue à letargia

Permaneço neste espaço

Equório, abissal.


Tirado do livro Perfil de Mulher da poetisa Leda Pereira