Ramalhete II

    Quando encontramos um ramalhete de flores, é muito bonito.

    Mas quando encontramos um ramalhete de seres humanos que tem o mesmo ideal, é fabuloso. Encantador!

    Sabemos que estes ramalhetes em suas caminhadas, com certeza, irão se formando mais ramalhetes porque com as suas sabedorias que foram deixados pelos caminhos que passaram, deixaram sementes que germinaram para levar a beleza, a harmonia, o amor, a família e a paz de Deus.

    Existem muitos, na verdade não sei quantos que já brotaram e onde caminham deixando sementes férteis, só sei que formam mais de milhões de ramalhetes brotados e todos são muitos felizes ao saber que o objetivo é levar a Paz de Deus.

    Perto de mim, aliás, bem pertinho de mim, tenho um ramalhete que eu adoro que é a minha esposa Nilza Invernizzi Lopes e os meus filhos: Andréa Maria Lopes Leite, Ângelo Invernizzi Lopes e Adriana Lopes e tenho mais outro ramalhete que na próxima postagem, com muito orgulho irei apresentá-lo.

    O meu ramalhete tem um valor prestimoso e me leva a dois caminhos que não conhecia:

    O primeiro caminho me mostrou a grande beleza da vida que é a minha esposa, sempre me ajudou a plantar as sementes de todas as flores desse ramalhete. Também me auxiliou a cuidar regando todos os dias e dedicando todos segundos, para que se formassem flores maravilhosas da vida.

    A minha esposa – a incansável – sempre me ajudando, para se formarem ramalhetes lindos.

    Mas um ramalhete tem um valor maior. Sim de muito orgulho, porque é ele que nos dá um grande motivo para nos rejuvenescermos e amar ainda mais a vida; são os nossos cinco netos: Nicholas Lopes Leite, 20 anos, ainda um pouco indeciso que faculdade seguir, depois de dois anos parece que chegou a uma conclusão, vai fazer o Curso de Música, já trabalha e é um ótimo baterista. Vibro muito por ele; o outro é o seu irmão Leonardo Lopes Leite, 19, este ano está terminando o Ensino Médio e vai tentar entrar na faculdade para fazer o curso de Arquitetura, toca baixo muito bem e com o seu irmão, sempre juntos, tocando com os amigos; o outro é o Vinícius Silva Lopes, 16, está fazendo o Ensino Médio, muito dedicado aos estudos e é também maravilhoso; depois vem a Laís Lopes Prado, 14, (em novembro fará 15 anos), também no próximo ano estará iniciando o Ensino Médio. Linda, estudiosa e carinhosa, e, por último vem o irmão dela, Guilherme, 4 anos, esperto, alegre, gosta de conversar e de fazer peraltices, está cursando o pré-primário. Não, é um ramalhete Lindo?!

    Eu e a minha esposa agradecemos as energias cósmicas por esta alegria.

    Em nossos livros estão registrados mais de um milhão de ramalhetes, formados com 55 pessoas cada um, na soma total são 55 milhões de pessoas, diante disto só temos que agradecer a Deus.

    Junto com a minha companheira podemos afirmar com muito orgulho que só temos agradecer a Deus e a todos que pertencem a esses ramalhetes – Muito obrigado.

    O segundo caminho, que seguimos a minha esposa e eu, é que nós somos jovens-idosos porque aprendemos com as energias cósmicas que o nosso corpo algumas vezes recente, mas a nossa mente logo nos salvam, aprendemos a respeitar o nosso corpo e a satisfazer o nosso espírito fazendo tudo que ele deseja.

    Mas, com muita calma e carinho sempre respeitando o nosso corpo que tanto amamos. Tadinho dele! É idoso. E hoje, vamos devagar e descobrimos mais uma coisa: que chegamos sempre em primeiro lugar. Querem saber?

    É porque os idosos são experientes e cautelosos, que sabem um segredo e que sempre digo e ensino é o de: "se amar e de se respeitar".

   Abraços a todos vocês, que cada um está formando o seu ramalhete, no qual estamos começando a formar uma nova série de ramalhetes.