O Gozo Divino

O gozo divino é maravilhoso, as suas vibrações, de prazer é de tanta felicidade que o ser humano nem se importa se o mundo pode terminar ali mesmo, este é o prazer do “gozo divino”.

Muitos seres humanos quando atinge este momento, chegam até se debaterem, e nem percebem o que faz de tanto prazer e felicidade. É verdade, muitos pensam que vão morrer naquele momento de prazer, é que este prazer abala a corrente sanguínea, que gira numa velocidade incrível, o coração dispara, em alguns casos, traz uma dor aguda na cabeça, mas gostosa, acontece isso porque o prazer foi tão forte que chega a romper a nossa aura.

A nossa aura é uma matéria muito sutil, está pronta a receber este rompimento que é essa pressão violenta de felicidade e de prazer que o corpo físico está recebendo, é uma sensação que não dá para avaliar em palavras, mas é mais ou menos assim, parece que vamos nos desintegrar e morrer em um imenso mar de glória infinita.

Este momento é conhecido como êxtase divino. Vamos pensar que é tão gostoso e delicioso que nem as drogas mais fortes não conseguem trazer este êxtase, porque o indivíduo que usa droga sempre tem um companheiro ou uma companheira ao lado, e logo depois de consumir a droga, muitas vezes realizam o sexo.

É um prazer que por mais que a gente tenta descrevê-lo não consegue porque vem da glória divina.

Hoje o mundo está assim, cientistas e estudiosos, sempre falam sobre sexo, o interessante que no meu tempo de infância, era um tabu, era um segredo de ambos os sexos e hoje é falado abertamente.

Sabemos que em muitos casos a relação sexual leva para impulsos animalescos, porque tem nessas pessoas o impulso da glória divina tão celestial, onde as pessoas se tornam verdadeiros animais, e os seres humanos não são animais, mas racionais.

Porém, devemos deixar bem claro que o prazer em si não traz felicidade, porque o estado do prazer é o oposto da dor, mas temos que compreender que ambos caminham juntos e o que devemos compreender também é que não somos ninguém para julgar os outros.

Todas as pessoas querem ter prazer no sexo, como um ser humano normal e de repente se tornam animalescos, sabemos nós, espiritualistas, que essas almas, umas são mais evoluídas do que as outras, a única coisa que nós espiritualistas condenamos, é o uso da violência, da pratica física no momento do êxtase que chegam a ferir gravemente os seus parceiros, isso realmente, não é a glória divina.

Afirmo que todos os tipos de sexo praticados com respeito, irão levar ao êxtase divino, ele estará presente sim.

Uns falam que são doentes, outros falam que é sujeira e por aí afora, mas na verdade, temos que comparar que a alma se diferencia uma da outra, de atitude e de exemplos, conhecemos histórias lá do passado, nos meados do ano de 1900, as parceiras, as esposas, faziam amor com seus esposos com luzes apagadas e o que acontecia com esses maridos, iam para orgia à procura de mulheres nuas para se deliciarem.

Nesta época, o casal eram pessoas frias, praticavam fielmente a religião, mas não faziam a caridade, eram cruéis com seus servos, e outros que tinham seus dons mais animalescos eram amigos, companheiros e fiéis, seguiam a sua religião, eram amigos de todos, inclusive, de seus servos. Diria eu, extintos animalescos de animais domésticos, não que eu apoio, também não condeno, mas, respeito.

Nós espiritualistas temos muitas dificuldades em orientar isto, só podemos acrescentar que, às vezes, uma alma pura mata os seus servos a chibatadas e uma alma animalesca como dizem, acodem aos necessitados, enxugando as suas lagrimas e ensinando-lhes coisas boas e com isso ensinavam aos seus servos a evoluírem na vida.

E o que estamos assistindo hoje em dia, são religiões abusando de meninos e meninas inocentes, isto para nós espiritualistas, é um ato de violência e de má orientação.

Isto sim chama-se pecado capital.

Abre-se um tema polêmico que tem que ser levado a público e discutido, porque muitas famílias entregam os seus filhos a certas religiões e depois não perguntam aos seus filhos o que acontecem nela, e estes jovens se revoltam com as religiões.

Estamos vendo atualmente, que são famílias fanáticas, oferecendo os seus filhos e filhas a essas pessoas que não tem condições nem para dirigir as suas próprias vidas e fazem seres inocentes serem revoltados pelo resto da vida.

Mas, o verdadeiro sexo só é aquele em que os parceiros se entregam a imensa troca de energia, que é o prazer e a felicidade de sentirem os seus corpos unidos e nus, sabem o que querem e tem prazer no que querem, mesmo estando abraçados ou distante um do outro numa cama, tem uma perfeita harmonia, se deliciam em seus pensamentos a esse amor verdadeiro e puro. É assim que os espiritualistas chamam de “Orgasmo da alma”.

Deixo você refletir sobre o que versei, e o amor verdadeiro existe sim, ele é aberto, sem limites e traz ao casal a força de vencerem todos obstáculos porque sabem praticar o “Sexo Divino”.