Como Podemos Diminuir a Violência no Planeta?

Num dos cursos que ministro, a Sra. Catarina Irene Schmitz, me fez esta pergunta: "Como podemos diminuir a violência no nosso planeta?" Eu respondi ao grupo:

Este tema, é muito discutido atualmente, ele é surgido de tantas maneiras, semanalmente têm-se mais ideias, porém o que falta mesmo é coragem de alguém se levantar e procurar elementos de cada país e colocá-las em prática, mesmo que as ideias surjam de pessoas que sejam de uma vida social mediana, mesmo assim, vai ser de uma grande perda de tempo.

Para diminuir a violência do planeta tem-se milhares de ideias, no entanto, nenhuma delas foi colocada em prática.

Na verdade, teríamos que reunir todos os países do mundo que ainda lutam com países vizinhos, ou com outros países mais distantes, com guerras que, talvez, nem eles mesmos sabem explicar o porquê que acontece.

Lutam e se matam, às vezes para manter uma esperança de melhora financeira. Cabem aos religiosos, cada um a seu modo, fazer vibrações a estes países, mas como?

Se nem eles mesmo sabem por que lutam? É muito cruel, a fome, a doença, o ódio e a vontade de se vingar que existem nestes países e no fundo, nós sabemos que eles estão em melhores situações financeiras, política e comercial dos demais, e que vivem dos lucros das armas e veículos para guerras.

Então, seria o melhor caso, as cúpulas religiosas do mundo inteiro se unirem e fazerem alguma coisa objetiva para essas grandes potências pararem de fabricar muitas armas, bombas, navios e aviões de guerra e que talvez provoquem todo esse barulho para terem maiores riquezas, agora, eu não posso afirmar como acabar com isso, porque eu sinceramente não sei como fazer.

Alguns líderes religiosos acabam se encontrando diplomaticamente, trocando beijinhos e apertos de mãos, mas sem trazer muitas decisões para esta violência que gira no mundo, estes religiosos não fazem nada, mas uma coisa eles prometem: rezar por um mundo melhor. Mas isso não resolve em nada, apenas trazem anseios e vontade, muita vontade de fazer alguma coisa.

A única coisa que eu vejo é que, as potências religiosas devem se unir numa só e que passam a controlar esses países, mas estamos longe disso (muito longe) disso acontecer. Em todos os países estamos assistindo violência de todas as maneiras e sem solução nenhuma. E o que vemos?

Pessoas se matando uns aos outros, muitas vezes, por nada, outras vezes por discórdia ou brigas, resultado: muitas vidas se perdem e outras ficam com mágoas, rancor, vontade de se vingar e etc.

Este é o quadro que vivemos hoje, mortes por velocidade de carros e quedas de aviões, enfim, o mundo alcançou uma situação que na verdade ninguém sabe o que fazer, mas não vamos desanimar, alguma luz há de aparecer para iluminar a mente humana, é uma pequena esperança, mas, eu não vejo outra alternativa.”