A Verdade Sobre a Lei do Retorno

Trago um pensamento de Swami Sivananda, um grande mentor indiano que diz o seguinte: “O homem semeia um pensamento e colhe uma ação, semeia um caráter e colhe um destino”.

Seguindo este pensamento que Swami nos traz, é para que a gente possa pensar e meditar sobre, porque é profundo e maravilhoso.

O ser humano nem imagina a força mental e a velocidade maravilhosa dos pensamentos bons ou maus que tem, é nesse momento que inicia os hábitos e que serão responsáveis pelo nosso caráter e o nosso destino.

Porque o hábito acumula e faz a pessoa habituar a fazê-lo em silêncio, mas é incrível, que até hoje não sabem de onde é que vem a “Lei do Retorno”.

Pessoas inteligentes vem do hábito, a “Lei do Retorno”, lógico, porque o ser humano bonzinho e religioso, que faz oração ao levantar e ao deitar-se, e se benze ao sair de casa e ao chegar no serviço, que tome cuidado. Por que?

Pelo motivo que, quando é um pensamento bom, mesmo que a pessoa esteja um metro distante de quem desejou, esse pensamento sobe mais ou menos 200 km de altura e parte para dar a volta ao mundo, dependendo, isso não importa do movimento do nosso globo terrestre.

O pensamento positivo dá a volta ao mundo passando na linha, no momento, nos países e nas suas cidades e passam pelas pessoas e as que estão com pensamentos afins de bondade, o pensamento passa que nem um foguete por elas e em fração de um segundo ou menos, ele entra no pensamento da pessoa em que pensou e que está distante de você, a pessoa recebe e fica feliz, se estava sentindo qualquer dor, passa tudo, para quem recebe e também para quem enviou, e quem enviou recebe três vezes mais.

Vamos agora falar do outro lado:

Quando se faz um pensamento ruim, mesmo que a pessoa esteja um metro diante de quem pensou, vai fazer a mesma viagem do pensamento bom direitinho, só diferencia as pessoas, ele passa pelas pessoas que estão com pensamentos ruins, iguais de quem enviou ou piores, e, vem na mesma velocidade ao encontro da pessoa que pensou, trazendo tudo de ruim para ela.

Se a pessoa que pensou for boa e bem equilibrada, quando ela recebe esse pensamento, os sintomas são mais ou menos estes: “uma forte tontura”, “começa suar muito”, “bocejar”, ou “escurece as vistas”, esses são os principais sintomas, porém, as suas forças de bondade, transforma-se só num momento ruim e passa.

E para quem enviou recebe de retorno dez vezes mais coisas ruins, que ao dar a volta no mundo, passou por pessoas afins e ao receber o pensamento de volta até se sente bem, mas vai pegar por aquele pensamento maldoso e transmitir isso para os seus familiares em fúria e crueldade, e com isso está formatando doenças graves para si própria.

Num terceiro caso, são as pessoas boazinhas e que tem pensamentos ruins para outras pessoas ou ainda as pessoas ruins que tem lá os seus pensamentos bons, ambos os casos, essas pessoas perambulam pelas suas vidas de-déu-em-déu, sem conseguir nada.

Aí está a definição da “Lei do Retorno”, pensando que é espiritual e que Deus perdoa. Deus tem culpa sim, porque Ele criou os seres humanos, só isso, para nascer, crescer e ser adulto, dependendo da índole de sua criação.

Então, quem nos castiga pelos hábitos de “ser bom” ou “ser mau”, somos nós mesmos.

É o que eu mais ouço ultimamente: “Deus está esquecendo de mim, só me traz castigos e chibatadas, sou uma pessoa boa, não faço mal para ninguém”. Quer melhorar a sua vida, também posso ensinar.

Se quer realmente mudar os seus hábitos de pensamentos, os nocivos, é simplesmente alternando o modo de pensar.

Mas, se pensar alguma coisa ruim, também, tem outro modo de melhorar esta situação: “Quando pensar coisas ruins ou desejar coisas ruins, que se arrepende do que pensou, logo em seguida, peça que volte para você.

O pensamento não é igual um revólver que apertou o gatilho não tem mais jeito e não é uma oração que vai conseguir o seu alívio, ou confessar com algum religioso, dessa forma também gera mais coisas em cima de você, ruins, porque está falando ou desabafando com pessoas erradas.

Você tem que conversar consigo mesmo e se redimir pedindo a volta de todo sofrimento para si, e a partir desse momento se sentirá feliz, porque foi um ser humano de muito caráter, que assumiu o seu erro e para a pessoa que pensou mau, se quiser confessar a ela, confesse, ou ainda se aproximando dela e ajudando-a a se reabilitar desse choque horrível, não há necessidade de confessar a ela. Faça isso que irá se sentir um ser humano honrado e de muito caráter.