Meditação: O que é?

A má interpretação dos ensinamentos espiritualistas conduz algumas pessoas a uma situação angustiosa. Citarei um exemplo acontecido comigo:

Tenho um grande amigo que inclusive é muito aplicado em nossa caminhada. Mas quando o conheci era uma pessoa revoltada e que não queria saber de mais nada sobre meditação, porque todos os centros espiritas que ele ia, quando ele perguntava para o palestrante ou dirigente do trabalho sobre meditação, cada um dava a sua opinião e que nunca batia com as demais que ele tinha visto.

Quando chegou a mim, ele nada me perguntou e falou o seguinte:

- Hoje é dia 13 de fevereiro, eu vou ficar com o senhor para sempre ou vou abandonar essa porcaria de religião.

E ele não me perguntou nada, como eu sou um espiritualista ferrenho e muito dedicado que sempre sou, eu convidei um amigo palestrante, aqui mesmo da cidade, para uma palestra, ele é um grande espírita e também era um político, tinha se elegido vereador aqui, em Ribeirão Preto, estado de São Paulo.

Esse palestrante encantou a plateia e, o meu grande amigo não deixou por menos, no final da palestra ele levantou o braço e perguntou se podia fazer uma pergunta a ele, e o palestrante pôs à sua disposição e respeitosamente perguntou-lhe:

- O senhor poderia me definir sobre meditação?

Sentado estava eu na plateia e estremeci, e o palestrante respondeu-lhe explicando o que era meditação ao seu ver, foi muito aplaudido pelos presentes, e fiquei olhando para o meu amigo que não aplaudia e pensei: “Ele não conseguiu ter a resposta desejada”.

O palestrante gostou muito do nosso local de trabalho e passou a frequentar, eu fiquei calado e nada perguntei ao meu amigo se ele tinha gostado ou não.

Um belo dia ele veio até mim e falou: “Lembra-se daquele palestrante, aquele ali sentado, não vou com a cara dele”

- Por que? perguntei-lhe

- Porque ele não me respondeu o que eu queria saber, me deixou mais confuso ainda, na citação dele sobre a meditação era a única e verdadeira, as outras eram bobagem e que eu tinha que acreditar era na dele.

- Por que tanta confusão com a meditação, se ela é um algo tão simples? Indaguei.

- Não é não! exclamou.

- Quantas teorias de meditações passaram para você?

- Um punhado

- Escolha uma que você mais gosta e que chegou perto do seu saber e siga ela, falei

- O senhor também já foi bom, né! concluiu

E saiu pisando duro e fiquei algum tempo sem vê-lo, e pensei “Que essa compreensão errônea vem no desejo do preceptor a evolução espiritual, e nessa ânsia, eles procuram forçar uma coisa que não dominam e acabam confundindo as pessoas que terminam abandonando a religião".

De repente fui dar nas palavras do grande mestre Jesus: “Procurai primeiro o Reino dos Céus e tudo mais vos será dado por acréscimo”.

Procuramos antes de mais nada, conforme ensinamentos espiritualistas, estudar a nós mesmos.

Estudando a nós, vamos descobrindo os nossos defeitos e as nossas qualidades, e então trabalhamos com afinco nos nossos defeitos e desenvolvemos as nossas qualidades.

E pensei no meu amigo que não via há muito tempo e passei estudar a mente dele, era uma mente humilde, mas não tranquila e ele se tornava cada vez mais pequeno, de repente ele aparece em minha frente, colocando a mão no ombro dele e disse:

- Amigo como você se sente?

- Um ser insignificante, tão pequeno que tem hora que eu penso que sou um nada, me respondeu.

Então eu perguntei a ele, se ele sabia que somente os pequeninos herdarão os reinos dos Céus?

- Eu não sou pequeno, já sou aposentado, me respondeu.

- A sua mente de tanto querer saber, tornou-se pequena que vejo você a gatinhar.

Ele me olhou espantado e falou-me:

- O senhor me vê assim?

- Sim, assim que o vejo.

Ele me olhou bem, no início com uma certa ira, encarei ele firme, e aos poucos o seu olhar foi se modificando. De repente percebi que ele queria me perguntar alguma coisa foi quando quebrei o silêncio:

- Pergunte!

- Por que você nunca me definiu o que é Meditação? falou.

- Meditação, respondi, você passa a tê-la quando colocar a Paz dentro de si.

Percebi que naquele momento ele navegou e deu um sorriso que nunca mais vou esquecer em minha vida, levantou e foi saindo lentamente, dava para perceber que ele estava flutuando, ele parou e me falou:

- Então eu tenho que ser tão forte que nada possa perturbar a minha paz mental?

- É isso daí, respondi-lhe.

Ao chegar até a porta ele olhou para trás e disse-me:

- Paizão, te adoro, te amo, estarei sempre junto do senhor, aonde o senhor for eu irei.

E ele está cumprindo com a sua palavra, depois disso irá fazer 20 anos que ele caminha junto de mim.