A Essência de Todas as Religiões

A nossa vida é muito nobre. Ela é maravilhosa, só que nós, seres humanos, não damos condições para se colocar em prática tudo que aprendemos, o que ela realmente nos ensina.

São caminhos diferentes, mas, convergentes para o mesmo objetivo que é orientar e ensinar os seus discípulos para que eles tenham uma caminhada maravilhosa.

As religiões se esmeram muito e cada uma quer ensinar com palavras que animam os discípulos e, é aí que acontece o grande erro, porque os discípulos não estão preparados para receber as lindas palavras de ensinamentos, é que a grande maioria não conhece nem sequer os verdadeiros ensinamentos que essas palavras ou escritas trazem na realidade uma grande instrução, uma sábia teoria e que é explicada em palavras tão difíceis de serem entendidas que confundem os fiéis e acabam se afastando por vergonha de não entender essas palavras maravilhosas, outros ficam mas não entendem o que fazem, por vergonha ou por respeito, não ousam a perguntar.

E assim, aumentam as confusões nas crendices, porque pais que não sabem o que praticam ensinam aos filhos o que entendram, e os filhos levam esses conhecimentos passados pelos seus pais para as procriações futuras e participando destas mesmas religiões que são subdivididas pelo orgulho de seus dirigentes que querem ensinar com palavras bonitas para serem comparados aos “super mestres”, sábios em tudo.

Cada religião tem uma mensagem que é sempre a mesma e os descentes dessas pessoas que falam muito bonito, eles fazem as mudanças das palavras que são mais complicadas ainda, que na realidade perdem o sentido de tudo na caminhada das pessoas, a mensagem é sempre a mesma e que se divergem nos grandes ensinamentos.

Já não se tem o mesmo significado do passado, a mesma fé, o presente é praticado totalmente diferente do que antigamente, porque as mensagens já não trazem aquela grande beleza que os discípulos possam ter, aquela linda e maravilhosa “sabedoria, amor e beleza” que visava em libertar a alma do penoso círculo da ignorância, para levar os discípulos a saírem dos sofrimentos e reencarnações.

Citaremos muitas religiões como:

O Hinduísmo, esta é a mais antiga religião do mundo, formulou os três caminhos da perfeição, que são: Carma-Marga (Ioga de ação altruísta); Jnana-Marga (Ioga do conhecimento espiritual) e Bhakti-Marga (Ioga da vontade, autodisciplina).

Até hoje o Hinduísmo continua da mesma maneira, mas também é considerada por muitos, a mais sábia religião do mundo, querem saber por que?

Porque simplesmente não há disputas de palavras ou escritas maravilhosas, as escritas continuam a mesma, dos mais ilustres seguidores aos menores seguidores, continua a mesma, quando um sabe da base de sua religião o outro com menos cultura sabe a mesma coisa.

O Budismo anunciou Óctuplo Caminho (o da reta conduta interna e externa), maravilhosamente também, o Budismo vem conseguindo aplicar e falar os seus ensinamentos básicos, sem acrescentar ou eliminar, é o mesmo, e assim mesmo há diversas ramificações do Budismo, mas a base é a mesma.

O Hermetismo, no antigo Egito mostrou o caminho da busca da Luz Interna que brilha tanto no Universo como no coração de cada ser.

O Mazdeismo persa enunciou o caminho da pureza de pensamentos, palavras e ações. Orfeu exaltou entre os antigos gregos a beleza na vida e nas formas e destacou-a em sua sagrada Lira.

Cristo apresentou o seu Evangelho de Amor e auto-sacrifício a bem da salvação do próximo.

Maomé decretou uma total submissão a vontade de Alá (Deus) e em relação ao próximo a severa lei: “Ninguém é verdadeiramente crente enquanto não almejar para o seu irmão o que para si mesmo almeja.”

Todas elas, menos o Hinduísmo, foram modificadas, por isso que o nosso mundo chegou ao ponto atual, o da evolução para uma total destruição, é o que vemos e assistimos hoje. E o que restou para nós?

O grande significado do Carma: “Quem pode mais, são aqueles que tem palavras bonitas e sabem impor a sua vontade”, então o que restou foi: “Dente por dente, olho por olho”.

E assim estamos chegando ao fim do Carma, não teremos mais Carma, nem Deus! O que será de nós?

Não de nós, mas de nossos filhos, netos e daí para frente, andamos milhares de anos por nada.

Essas palavras mal ditas e esses escritos criminosos estão mudando a caminhada do nosso mundo, o que nos resta a fazer, continuar caminhando, orando e rezando, pedindo perdão, para ver se vamos conseguir alguma coisa de melhor, desse escandaloso fim.