Saudades dos Amigos I

Tenho muita saudade dos meus amigos que já desencarnaram, tenho uma prece minha que faço a vocês meus queridos e queridas amigas.

  • A minha querida amiga Arminda Antiori, da nossa conversa e da sua alegria de viver. Minha amiga aprendi muito com você.
  • Meu querido Francisco Penna quantas saudades! Eu sempre elogiava a sua caligrafia, sei que está bem, mas sinto muitas saudades do senhor.
  • Outra amiga que se foi Egidia Previdelli, de sua alegria, sempre preocupada com a sua família e que usava o Magistralem Speculum com os seus alunos, porque sempre foi aquela “Professora” muito aplicada e querida por todos; que saudades sua!
  • Edson Contin dos nossos papos, das idas e voltas das viagens que fazíamos pela religião “Amor Entre os Povos”.
  • Outro amigo que nos deixou Clésio Schiavetto, das suas gargalhadas e sempre tinha uma história para contar; bons tempos!
  • Alcides Salomão, um homem simples e cativo, de um sorriso impar, trabalhou em ônibus urbano de nossa cidade, primeiro com a família Achê, proprietários de empresa de ônibus e depois pelo Cometa (urbanos) sempre se destacava com a sua gentileza e seu belo sorriso e o seu uniforme sempre impecável.
  • Outro amigo, Haroldo Bataglia com o seu carinho e alegria; desencarnou jovem e a dedicação da sua esposa Marilia, era algo de emocionar qualquer um.
  • Dr. Marco Portugal, alegre, feliz e sempre conversando, bem, parecia que a felicidade vivia dentro dele, mas um lamentável acidente o levou.
  • Minha querida amiga Maria de Lurdes de Almeida Machado, amigona da Cidinha, Aparecida do Carmo de Melo Souza, que moravam em frente da Madrinha Anita Jaime; tenho saudades das conversas da Lurdinha.
  • Minha amiga Zelpha Pinheiro, uma guerreira e amiga; fiquei muito triste com o seu óbito, não pude me despedir do seu corpo, só vim saber do seu desencarne anos depois, os seus filhos não me avisaram, não faz mal, o que valeu foi lhe conhecer.
  • Grande amiga a Professora Branca Marilene Mora de Oliveira, conhecíamos desde a infância lá na Rua Visconde do Rio Branco, a sua mãe Dona Ernesta.
  • Ricardo Benedito dos Santos, meu bom maestro, que nos deixou muitas saudades.
  • Francisca Pilorzi Ianni, dona Hilda, esposa do Mestre José Ianni, sempre nos procurou ajudar, quando frequentava o Amor Entre os Povos.
  • O amigo Ariovaldo Fernandes gostava de conversar, enfim é um sonhador, quantas histórias você contava!

Tenho muito mais amigos que desencarnaram, dos seus nomes não me lembro, porém as suas fisionomias sempre tenho em minha mente.

Essa é a oração que faço todos os dias: “Amo todos vocês, me aguardem...